O primeiro dia de outubro já começa animado para o mercado de criptomoedas. O bitcoin (BTC) registra alta de 10,16%, cotado a US$ 47.382,73 (R$ 257.918,43), o que significa a quebra do patamar teórico de resistência dos US$ 45 mil. Dessa forma, as demais moedas do mercado também se recuperam das perdas de setembro:

Do pior ao melhor mês

Setembro foi duro para o bitcoin (BTC). Depois de maio, quando a China proibiu transações em criptomoedas e derrubou as cotações em 35,4%, o mês encerrado ontem (30) acumulou queda de 7,3% e é o segundo pior mês para a cripto em 2021. 

Mas os bons ventos do “Uptober”, como está sendo chamado este momento para as criptomoedas, podem trazer uma valorização do mercado. Em primeiro lugar, historicamente outubro é um mês positivo para o mercado cripto, o que faz os investidores esperarem por uma maior liquidez nos próximos dias. 

Em segundo lugar, o rali de final de ano, comum no mercado de ações, também deve impulsionar as cotações. 

ETFs da bolsa brasileira

Preço de fechamento dos ETFs de criptomoedas negociados na B3 (quinta-feira, 30):

Ticker Gestora Preço Variação
HASH11 Hashdex R$ 42,50 +4,42%
ETHE11 Hashdex R$ 48,00 +5,12%
BITH11 Hashdex R$ 56,43 +5,27%
QBTC11 QR Capital R$ 14,90 +5,15%
QETH11 QR Capital R$ 11,78 +5,46%

Não se esqueça de conferir o Papo Cripto, onde eu converso com as principais personalidades do mercado de criptomoedas. A convidada desta semana é Helena Margarido, especialista em criptomoedas da Monett:



Fonte original