Pela primeira vez, depois de 5 meses o Bitcoin pode bater a marca dos US$ 60 mil novamente. Nesta sexta-feira (15), o Bitcoin amanheceu com mais uma alta importante para o mercado. Subindo mais 3,64%, o valor às 8h era de US$ 59.460.

Esta é a primeira vez que o valor do BTC chega próximo ao valor de pico do último mês de abril, quando o Bitcoin foi vendido a quase US$ 65 mil.

De acordo com o TradingView, só neste mês de outubro, o Bitcoin já subiu mais de 23%. No acumulado de um ano, os investidores já viram o valor subir mais de 104%.

A maior criptomoeda em capitalização do mundo, segue provando a sua grandeza em meio às críticas e proibições, principalmente do governo Chinês. Desta vez, o Bitcoin segue impulsionado por notícias de aprovação de ETFs pelos Estados Unidos.

A alta do Bitcoin, no entanto, não impulsionou o mercado de criptomoedas de forma geral. Algumas das principais criptomoedas do mercado apresentaram queda na manhã desta sexta-feira.

A Ether, por exemplo, segunda maior moeda em capitalização do mercado, chegou a cair 0,44%. O preço da moeda da Blockchain da Ethereum era de US$ 3.776 às 8h.

A Solana, moeda que apresentou melhor desempenhos nos meses de agosto e início de setembro, apresentou uma alta de 4,65%, chegando a US$ 157. Apesar de ainda estar longe do seu pico de US$ 192, a Solana ainda se mostra promissora, devido aos lançamentos na blockchain.

Outras criptomoedas como Cardano, Dogecoin e Shiba INU amanheceram em queda novamente. O ADA estava sendo vendido a US$ 2,15, com uma queda de mais 0,94% às 8h. A DOGE, caiu mais 1,98% e chegou ao valor de US$ 0,22. Já a INU, caiu mais de 7,22%, chegando ao valor de US$ 0,00002550.

A Semana das criptomoedas

O Bitcoin tem subido agradavelmente desde o início deste mês. O BTC cruzou os US$ 58.000 em 14 de outubro e a linha de tendência está dentro de um padrão de canal ascendente.

Podemos esperar resistência em níveis de US$ 59 mil e US$ 60 mil, caso correções aconteçam.

Já a Ethereum está negociando dentro de um padrão triangular. O Bitcoin teve sua parcela de uma tremenda corrida de touros. O ETH está definido para romper com esse padrão com base no momento atual. Isso colocaria os outros Altcoins em alta.

Por fim, foi registrado uma queda de mais de 50% no volume de transações utilizando criptomoedas na região asiática, impulsionada pela proibição das criptomoedas na China. De acordo com o Chinanalysis, a região recebeu US$ 590,9 bilhões em criptomoedas entre julho de 2020 e junho de 2021, o equivalente a 14% da atividade global naquele período. Isso não se compara aos 31% registrados entre julho de 2019 e junho de 2020.

Leia também: Considerada promissora, Cardano perde terreno e cai 30%

Leia também: Imposto para criptomoedas? Líderes do G7 estabelecem diretrizes para moedas digitais

Leia também: Ataques ransomwares crescem mais de 30% e movimentam R$ 32,4 bilhões no Brasil



Fonte original