O Bitcoin está em movimento novamente graças a um tweet de Elon Musk.

O CEO da Tesla e amante de Dogecoin (DOGE) disse em um post neste domingo (13) que a Tesla “vai retomar a permissão de transações de Bitcoin” se e quando houver “confirmação de uso razoável (50%) de energia limpa por mineradores no futuro.” O Bitcoin estourou quase 5% após o tweet, passando de US$ 37.399 para US$ 39.190.

O tweet foi uma resposta a uma matéria da versão em inglês do site CoinTelegraph sobre Magda Wierzycka, CEO fintech Sygnia, acusando Musk de fazer pump and dump depois que a Tesla comprou US$ 1,5 bilhão em BTC. Em resumo, Wierzycka disse que ele comprou a criptomoeda para na sequência “vender uma grande parte de sua exposição no pico.”

Musk disse que a crítica de Wierzycka foi “imprecisa”, acrescentando que a Tesla “vendeu apenas 10% das participações para confirmar que o BTC poderia ser liquidado facilmente sem mover o mercado.” (Musk disse em abril que a Tesla vendeu 10% de suas participações “essencialmente para provar a liquidez do Bitcoin como uma alternativa para manter dinheiro no balanço patrimonial”).

No ano passado, os tweets de Musk mudaram repetidamente os preços das criptomoedas, tanto para cima quanto para baixo.

A compra do Bitcoin da Tesla em fevereiro deu um impulso às ações do BTC e da montadora de carros. Em maio, no entanto, o ‘tweet surpresa’ em que ele afirmou que a Tesla não aceitará mais o Bitcoin devido a preocupações ambientais levou a um grande retrocesso que se manteve enquanto ele continuava a tweetar suas preocupações sobre o Bitcoin.

Enquanto isso, ele preferiu a Dogecoin, e seus tweets sobre a criptomoeda meme repetidamente impulsionaram o preço da DOGE.

Os gráficos de preços mostram que o ‘efeito Elon’ sobre os preços das criptomoedas está vivo como sempre. Após o tweet de Musk neste domingo, o Bitcoin rompeu o nível de resistência de US$ 35.000 para US$ 36.000 pela primeira vez desde o início da recente tendência de baixa em abril.

O debate sobre o impacto ambiental do Bitcoin ficou mais alto e mais quente no ano passado, e levou os críticos a pedir mais mineração de Bitcoin que use energia renovável (ou “limpa”).

A parte atual da mineração de Bitcoin que já usa energia renovável está em disputa. Um relatório de 2020 do Cambridge Center for Alternative Finance estimou que 39% da mineração de Bitcoin usa energia renovável, enquanto um relatório de 2018 da CoinShares, uma empresa de investimento em criptomoedas, fixou o número em 77,6%.

Em algum momento entre a Tesla comprar US$ 1,5 bilhão em Bitcoin em fevereiro e Musk recuar em maio, o executivo ficou claramente preocupado com o uso de energia da mineração e como isso poderia prejudicar a imagem verde da Tesla.

Na conferência Bitcoin 2021 em Miami na semana passada, gritos de “Fuck Elon”, bem como camisetas com a mesma frase, foram populares. Mas se a Tesla está disposta a abraçar novamente o Bitcoin, talvez os “bitcoiners” não tenham terminado com Musk para sempre.

Fonte original