Recentemente, a empresa estadunidense de inteligência de negócios MicroStrategy adquiriu mais 3.907 Bitcoins. O valor pago por unidade foi de US$ 45.292, o que dá um total de US$ 177 milhões (R$ 940 milhões) pela compra. Agora, a empresa já acumula 108.992 BTC sob custódia, totalizando US$ 2.918 bilhões.

Até agora, os 108.992 Bitcoins adquiridos pela empresa totalizam US$ 2.918.000.000, a um preço médio de US$ 26.769 por BTC.

Portanto, calculando a quantidade de Bitcoin que a empresa possui, ao preço atual da criptomoeda, a MicroStrategy tem US$ 5.300.000.000. Isso representa um lucro aproximado de US$ 2,482 milhões.

A primeira compra da empresa foi de 21.454 BTC por US$ 250 milhões em agosto de 2020. Desde então, essas moedas aumentaram 4 vezes de preço, obtendo para a empresa um aumento de 400% nos lucros.

Também perdeu

Embora as compras de BTC da MicroStrategy tenham gerado grandes lucros, também foram relatadas perdas ocasionais nos últimos meses.

De acordo com a companhia, no segundo trimestre de 2021, foram perdidos US$ 300 milhões após a queda do Bitcoin.

“O prejuízo líquido no segundo trimestre de 2021 foi de US$ 300 milhões, ou US$ 30,71 por ação”, anunciou.

Porém, a visão estratégica da empresa segue focada no longo prazo, conforme destacou Saylor.

“Se você está tentando melhorar seu balanço, minha melhor ideia é Bitcoin. Se você está tentando melhorar sua tecnologia, minha melhor ideia é a Lightning Network”, disse Saylor no Twitter.

Vale destacar que, recentemente, a LN superou a marca de US$ 100 milhões em BTC alocados na rede.

Além disso, outra métrica que cresceu foi o número de nós da rede, que agora supera a casa dos 25.000. O crescimento foi de 8% nos últimos 30 dias.

A capacidade da LN cresceu cerca de 78% no mesmo período, saindo de 1.800 para mais de 2.300 BTC, de acordo com dados do site 1ml.

Leia também: Open Banking será a porta de entrada para o Real Digital, mas o que é isso?

Leia também: Nubank mira valuation de até US$ 100 bilhões com futuro IPO

Leia também: Supostas pirâmides do RJ movimentaram R$ 40 bilhões em 6 anos; saiba como evitar golpe



Fonte original