Após alcançar o maior valor da história, o bitcoin registrou queda de cerca de 4% nesta sexta-feira (22). O pior resultado da criptomoeda nesta semana. 

Apesar da desvalorização, o ativo digital segue cotado acima da casa dos US$ 60 mil: US$ 63.217. Segundo o CoinMarketCap, o valor é US$ 3.713 mais baixo que a máxima de US$ 66.930 obtida ao longo da quarta-feira (20).

publicidade

Montes de criptomoedas bitcoin
Imagem: kitti Suwanekkasit/Shutterstock

Um dos motivos para o bitcoin não conseguir segurar a sua valorização foi o fato da moeda digital ter sofrido um ‘crash’ em corretoras de criptomoedas nos EUA, o que fez com que o criptoativo caísse momentaneamente para US$ 8 mil antes de voltar a faixa dos US$ 60 mil.

No Brasil, segundo o ‘Índice do Portal do Bitcoin’, a criptomoeda retraiu para R$ 354 mil, no entanto, voltou a ser negociada na faixa dos R$ 358 mil.

Leia mais:

Vale destacar que essa volatilidade é natural. Analistas indicam que o bitcoin deve eventualmente se estabilizar em um valor ligeiramente mais baixo após a semana movimentada — ainda assim, o ‘Relatório de Previsões de Preço’ para o bitcoin aponta que o ativo deve ultrapassar US$ 80 mil ainda este ano.

Por fim, o ethereum, a segunda moeda mais valiosa do mercado cripto, acompanhou a mesma tendência, com queda de 4,5%. Sua pior cotação do dia foi US$ 4.032. Nas corretoras brasileiras, o valor de uma unidade de ethereum gira em torno de R$ 23 mil.

Via: Portal do Bitcoin

Créditos da imagem principal: rzoze19/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!





Fonte original