Um endereço de inativo desde 2012 voltou a registrar atividade na segunda-feira (12), conforme divulgou o perfil Whale Alert. A carteira, que contém 791 (BTC), realizou uma transferência de 100 BTC para outro endereço.

O fato despertou a curiosidade das pessoas que interagiram com a publicação. As especulações vão desde a recuperação de senha até um novo rico realizando lucros. De fato, movimentações em carteiras paradas há anos costumam ser associadas até a Satoshi Nakamoto, criador do BTC.

Carteira faz primeira retirada desde 2012

Conforme mencionado, o endereço fez uma transferência de 100 BTC. No total, o endereço contém cerca de R$ 135,4 milhões na cotação atual, enquanto a retirada foi de R$ 16,9 milhões.

Após a movimentação, ainda permanecem na carteira 640 BTC. Desde então, não foi registrada outra retirada ou depósito no endereço.

Movimentações como estas têm acontecido com frequência em 2021. As mais recentes ocorreram em fevereiro e, conforme relatou o CriptoFácil, partiram de dois endereços ainda mais antigos — criados em 11 de junho de 2010.

Na ocasião, cada endereço movimentou cerca de 50 BTC. O objetivo das movimentações foi impedir um dusting attack, ataque que visa descobrir a quem pertence uma carteira.

Neste ataque, alguém envia quantias ínfimas de criptomoedas para diferentes carteiras, visando rastrear as movimentações e descobrir a quem elas pertencem. Curiosamente, este endereço também foi alvo de um dusting attack, visto que é possível identificar uma série de pequenas transações recebidas.

Usuários especulam no Twitter

Além de uma possível proteção contra ataques, a transação gerou outras especulações entre os usuários. A mais frequente delas foi de que, na verdade, teria sido alguém que recuperou o endereço da sua carteira.

Segundo a empresa de pesquisas Chainalysis, estima-se que existam 3,7 milhões de BTC perdidos, especialmente por usuários que criaram uma carteira e esqueceram a senha. Nesse sentido, a única maneira de recuperar essas criptomoedas é localizando a senha perdida.

Outro motivo para a perda de BTC é a perda da carteira em si. De fato, um usuário especulou sobre esta possibilidade: “sempre me perguntei quantos computadores vendidos no ferro-velho possuem uma carteira de criptomoedas”.

Além disso, é válido teorizar quanto o dono desta carteira lucrou com a valorização do BTC. Em 2012, a criptomoeda encerrou o ano valendo cerca de R$ 25, já na cotação ajustada. Isso quer dizer que os 740 BTC provavelmente foram adquiridos a R$ 18,5 mil.

Levando em conta o preço atual de R$ 135,4 milhões, o misterioso investidor obteve um estratosférico retorno de 731.891% em pouco mais de 9 anos.

Fonte original