Ganhar dinheiro sem trabalhar é uma raridade, mas e se dissermos que existe uma empresa que está distribuindo criptomoedas para qualquer um que desejar? Esse é o caso da Worldcoin, uma nova moeda digital que tem o objetivo de democratizar o acesso à cripto ao oferecê-las a qualquer pessoa que topar ter os seus olhos escaneados.

A Worldcoin acabou de sair para o mundo, neste dia 21 de outubro, e ela usa um dispositivo, chamado de Orbe, para tirar e analisar uma imagem do olho de cada pessoa que quiser uns trocados digitais (ainda não sabemos quanto). A imagem serve para provar que você é real e que ainda não pegou a sua parte – além disso, a companhia não solicita de nenhum outro dado para pagar as criptos.

Mais de 100 mil pessoas já toparam o experimento, e a Worldcoin tem 30 unidades do Orbe em quatro continentes. O prêmio será “uma nova moeda global de propriedade coletiva que será distribuída de forma justa para o maior número possível de pessoas”, de acordo com a empresa. Eles têm a intenção de aumentar a quantidade de Orbes pelo mundo e distribuir 4 mil unidades por mês.

 

            Privacidade e inclusão

 

A tecnologia das Orbes converte a imagem de cada olho em um código numérico – ou seja, a foto original não precisa ser guardada em nenhuma base de dados. Esse código também não é relacionado de forma alguma às transações ou à carteira dos usuários, o que dá mais uma camada de privacidade. Em breve, quem quiser participar da rede da Worldcoin nem sequer precisará visitar uma orbe – porém, também não receberá a sua parte grátis.

A empresa quer atingir a população mundial em larga escala para democratizar o acesso às criptomoedas. Esse tipo de tecnologia vem se tornando cada vez mais popular, mas as pessoas, principalmente de países menos desenvolvidos, não têm tanto acesso ao mercado. Por exemplo, sabemos que em El Salvador já há redes de fast food que aceitam Bitcoin e aqui no Brasil há produtos e serviços digitais que permitem o pagamento em cripto, como as casas de apostas online. Porém, os sites de apostas com pix são ainda mais utilizados, já que essa forma de pagamento se integrou à nossa sociedade de maneira extremamente rápida. Essas plataformas de jogatina digital se adaptam rapidamente ao que os seus usuários preferem, inclusive oferecendo bônus para novos usuários, aumentando as suas chances de vitória.

Para garantir que a tecnologia será inclusiva e útil, a equipe atualmente está desenvolvendo um app de carteira otimizado e simples de se usar. Esse app permitirá que o dono da carteira faça pagamentos globalmente, além de contar com conteúdos educacionais sobre o projeto e outras criptomoedas, assim como um rastreamento de Operadores.

 

Futuro

 

No ritmo em que está, a Worldcoin em breve terá mais usuários pelo mundo do que as criptomoedas já estabelecidas – a estimativa é que ela consiga atrair mais de um bilhão de pessoas em apenas 2 anos. Já existem 25 Operadores de Orbes atuando ao redor do mundo, que estão testando mais de 30 Orbes em 12 países. Espera-se que nos próximos meses mais testes sejam feitos, com o aumento no número de dispositivos e Operadores. Depois desse primeiro momento, mais de 4,000 Orbes serão distribuídos mensalmente: o equivalente a 50,000 todos os anos.

A meta é que 10 bilhões de tokens sejam emitidos: 80% deles irão para os usuários, 10% para os investidores, e o restante para desenvolver a rede e fabricar Orbes. Alguns grandes investidores que estão acreditando nessa empreitada são as empresas 1confirmation, Coinbase Ventures, CoinFund, Blockchange, Day One Ventures, Digital Currency Group, Kenetic Capital, Three Arrows Capital, Multicoin, dentre outras. Há também os investidores-anjo que aplicaram o capital próprio na Worldcoin, incluindo o co-fundador do LinkedIn Reid Hoffman, e os fundadores da Solana e diferentes projetos da Ethereum.



Fonte original