A dificuldade para minerar bitcoin pode estar pronta para começar a aumentar pela primeira vez desde que a China, principal polo da atividade no mundo, anunciou sua proibição em maio.

Segundo especialistas, a rápida expansão das instalações de mineração na América do Norte e o retorno de mineradores chineses a partir de instalações em outros países são os dois fatores determinantes para que a hashrate, como é a chamada a taxa de poder computacional da rede Bitcoin, volte a aumentar.

A dificuldade de mineração é uma métrica para descrever o nível de dificuldade de minerar um bloco e receber recompensas em bitcoin. Um aumento requer que um minerador utilize mais poder computacional para ganhar bitcoin, o que reduz sua margem de lucro. Quanto mais máquinas online, maior a dificuldade de mineração e também maior a segurança na rede Bitcoin.

A métrica enfrentou queda desde que o governo chinês solicitou às autoridades regionais que interrompessem as operações de mineração do país em 21 de maio. O último nível de dificuldade quinzenal divulgado em 17 de julho apresenta queda pela quarta vez seguida desde a proibição.

“Estamos prevendo ajustes positivos para a próxima semana pela primeira vez desde que a hashrate chinesa foi desativada, um aumento de aproximadamente 1,75%”, afirmou no sábado a newsletter da Luxor, empresa de mineração em Seattle.





Fonte original