Com um total de R$ 56,5 bilhões sob gestão, a tradicional empresa do mercado financeiro Kinea se rendeu ao mundo cripto e destaca o potencial do ethereum hoje como base da próxima geração da internet, a Web 3.0.

Isso porque, além de ser a segunda maior criptomoeda do mundo, a tecnologia do ethereum é a mais usada na criação de contratos inteligentes, ferramentas tecnológicas que envolve plataformas de empréstimos, jogos, sistemas de telecomunicação e até redes sociais. Tudo descentralizado numa rede anônima, sem que empresas fiquem com seus dados e os usem para o que bem entender.

Isso é algo inovador a nível global. Para você ter uma ideia, projetos como Helium (modem de internet descentralizado), AXS (jogo onde as pessoas jogam para ganhar dinheiro), AAVE (ferramenta de empréstimo) e outros, criados por meio do código do ethereum, já vêm ganhando relevância mundial, com aumento exponencial no número de usuários.

Além disso, a Kinea avalia que o ethereum já passou por diversos testes de estresse e atualizações, o que o coloca na frente de outras moedas digitais focadas em contratos inteligentes, como Solana (SOL), Cardano (ADA) e Polkadot (DOT).

“O ethereum já sofreu testes de estresse muito mais vezes do que outros projetos”, comenta Rodrigo Zobaran, analista de pesquisas quantitativas da Kinea, focado em criptoativos, modelagem macroeconômica e dinâmicas de mercado. “É muito improvável que o ethereum saia do ar, como aconteceu com a Solana, que ficou 24h offline”.

Aliás, antes de você entender neste texto por que o Ethereum é melhor que o bitcoin e o motivo de sua cotação poder chegar aos US$ 20 mil entre o fim do ano e o começo do ano que vem, convidamos você para ler sobre um dos grandes projetos criptos, a Helium (ticker: HNT, disponível na Binance), que beberam da tecnologia dessa criptomoeda.

Confira abaixo e aproveite para nos seguir no Instagram (basta clicar aqui). Lá entregamos aos leitores análises de investimentos, notícias relevantes para o seu patrimônio, oportunidades de compra na bolsa, insights sobre carreira, empreendedorismo e muito mais.

Ethereum é melhor que o bitcoin para investidores

Segundo relatório da Kinea, o bitcoin (BTC) é um projeto mais estático e que sofre menos atualizações — como foi o caso recente do Taproot, que demorou quatro anos para ser instalado. Já o ethereum (ETH) possui uma comunidade mais engajada. O próprio sistemas das blockchains permite que alterações e soluções de problemas sejam feitas de maneira mais dinâmica.

“Em um mundo cada vez mais focado em ESG [sigla para boas práticas socioambientais e de governança], uma mudança de paradigma do proof-of-work do bitcoin em relação ao proof-of-stake do ethereum é fundamental para a adequação a esse novo cenário”, diz Zobaran.

Se você não sabe o que são esses termos, relaxa. A gente explica:

  • proof-of-work é um método utilizado na mineração de criptomoedas (isto é, geração das moedas) que consome muita energia e tem sido duramente criticado como uma forma pouco ecológica de manutenção da rede do bitcoin.
  • proof-of-stake é considerado uma forma de manutenção de rede que consome menos energia, o que é visto com bons olhos pela comunidade internacional interessada em criptomoedas. Essa tecnologia já é utilizada em outras moedas do mercado, como Cardano (ADA) e Chanlink (LINK).

Cotação do Ethereum em US$ 20 mil

O Ethereum está com uma atualização programada para o início de dezembro, mais um passo em direção ao “ethereum definitivo”, conhecido como ethereum 2.0. 

Em entrevista ao Seu Dinheiro, a analista de criptomoedas da Monett, Helena Margarido comentou que o ethereum tem capacidade de chegar até US$ 20 mil entre o final de 2021 e começo de 2022. Nas projeções mais conservadoras, o patamar de US$ 12 mil ainda é possível em 2021, o que representa uma alta de mais de 160% em relação à cotação atual.

Desde a última atualização, já foram queimados mais de 1 milhão de unidades de ethereum, ou seja, ele está ficando mais escasso, menos disponível, o que deve refletir em um choque de oferta nos próximos meses. Em outras palavras, o preço tende a ficar mais elástico e com tendência de alta, segundo os analistas.

Ethereum e outras oportunidades

Para ler mais sobre o ethereum, você pode ler este conteúdo na íntegra pelo texto do repórter Renan Sousa, disponível neste link.





Fonte original