As exchanges brasileiras de criptomoedas seguem inovando e adicionando novas criptomoedas, tokens e pares de negociação para atender a crescente demanda dos investidores nacionais de criptoativos.

Nesta linha a Foxbit anunciou a listagem da Cardano (ADA) uma das criptomoedas que tem sido destaque no mercado devido a sua alta de mais de 100% em menos de 3 dias.

Criada por Charles Hoskinson, um dos cofundadores e peça essencial no lançamento do Ethereum (ETH), a moeda ganhou muita força nos últimos meses, com uma valorização superior ao do Bitcoin (BTC), por conta do recente bull run. 

Intitulada pelos entusiastas como a “terceira geração do blockchain”, a Cardano hoje é a 3ª criptomoeda em termos de capitalização de mercado, atrás apenas de Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH).

“A Cardano é uma das mais pedidas pelos nossos clientes e por esse motivo estamos trazendo essa novidade para a plataforma. Foi a primeira criptomoeda a ser completamente baseada na metodologia científica e vem crescendo a cada dia, mostrando a força da moeda”, resume João Canhada, CEO da Foxbit.

A inclusão da Cardano é um dos 14 lançamentos que a Foxbit teve ao longo de 2021, entre criptomoedas, tokens defi, utility tokens e stablecoins, chegando ao total de 19 criptoativos disponíveis para compra e venda pela exchange. Todas as moedas podem ser adquiridas no site da Foxbit. 

“A Foxbit está sempre ouvindo e fazendo o melhor para os seus clientes. Neste mês, conseguimos diminuir bastante as taxas de saque de criptomoedas, além de termos adicionado Axie e Cardano, tokens muito requisitados pelos clientes”, afirmou Ricardo Dantas, Co-CEO da Foxbit. 

Mercado Bitcoin

Preocupado com as transformações mundiais e alinhado com o movimento sustentável, o Mercado Bitcoin, anunciou a campanha Quem pensa compensa. A ideia é simples: ao negociar bitcoins, os clientes do Mercado Bitcoin serão avisados quantos MCO2 são necessários para neutralizar a pegada ambiental gerada pela transação. 

Cada token MCO2, listado no MB desde janeiro deste ano em parceria com a MOSS, equivale a um crédito de carbono. Com isso, ao comprar um MCO2, por exemplo, o cliente conseguirá compensar a emissão de uma tonelada de dióxido de carbono (CO2) da atmosfera (capturado ou não emitido).

A emissão desses gases contribui para o aumento da temperatura global. Essa inovação digital de crédito de carbono florestal auxilia na preservação do planeta.

O ativo é uma opção para pessoas físicas e pequenas empresas compensarem suas pegadas de carbono e também trata-se de um utility token com expectativa de valorização. Os créditos de carbono da MOSS têm seus preços definidos no mercado secundário. Ou seja, por meio de transações entre os usuários.

Esses preços são formados de forma independente e seguem a lei da oferta e da demanda. O próprio Mercado Bitcoin foi uma das primeiras exchanges brasileiras a compensar sua pegada de carbono desde a criação da empresa, em 2013.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Fonte original