O Fundo de Alívio e Aposentadoria de Bombeiros de Houston (HFRRF, na sigla em inglês), anunciou a inclusão de Bitcoin (BTC) no seu portfólio. A adição foi divulgada na quinta-feira (21), conforme matéria do portal Business Insider.

Como o nome diz, o HFRRF é responsável pela gestão das aposentadorias dos bombeiros de Houston, maior cidade do Texas. Apesar de ser um fundo local, o HFRRF fez história, pois tornou-se o primeiro fundo de pensão pública dos Estados Unidos a comprar BTC.

No total, o fundo adquiriu US$ 25 milhões em BTC, ou R$ 142,5 milhões na cotação atual. A operação foi facilitadas pela NYDIG, empresa que fornece serviços de BTC para clientes institucionais. A princípio, a NYDIG auxiliará o HFRRF tanto nas compras quanto na custódia dos BTC.

Para a custódia em si, a NYDIG criou um fundo privado em nome do HFRRF. Será este fundo que vai gerenciar, adquirir e custodiar os ativos em nome da HFRRF.

Por fim, o HFRRF planeja expandir a parceria e permitir que seus mais de 6.600 beneficiários possam usufruir dos serviços da empresa. O fundo de pensão inclui bombeiros ativos, aposentados e bombeiros que sobreviveram a incêndios com sequelas.

Bitcoin ganha lugar em fundos de pensão

Nate Conrad, chefe de gestão de ativos da NYDIG, comemorou a decisão. De acordo com o executivo, a compra estabelece um novo padrão na forma como fundos de pensão enxergam as criptomoedas.

“Esse investimento representa um momento fundamental para o BTC e seu lugar em pensões públicas. Os mercados tradicionais estão cada vez mais conscientes de como uma pequena alocação para ativos digitais pode causar um grande impacto ao longo do tempo. Agora, o HFRRF têm na NYDIG um parceiro que pode ajudá-los a tornar isso realidade.”

Essa visão é compartilhada por Ajit Singh, CIO do HFRRF, que enxerga o BTC como uma ferramenta de gerenciamento de risco. Por outro lado, a criptomoeda também deve ajudar o fundo a potencializar retorno aos pensionistas.

“Eu vejo isso como outra ferramenta para gerenciar o meu risco. Tem um retorno esperado positivo e gerencia o meu risco. Tem uma baixa correlação para todas as outras ativos”.

Juros baixos levam fundos a diversificarem

A compra de BTC por um fundo de pensão pode despertar um sinal de alerta. Afinal, estes fundos lidam com aposentadorias de milhares, ou até milhões de pessoas. Nesse sentido, colocar dinheiro em um ativo volátil como BTC pode expor o fundo a um grande risco, sobretudo no curto prazo.

No entanto, a maior parte desses fundos não dispõe de muitas escolhas. Os títulos de renda fixa, visto como os investimentos mais seguros, estão pagando cada vez menos, resultado da política de juros baixos imposta desde 2008.

De fato, muitos países chegaram a adotar taxas de juros negativas para seus títulos. E como fundos de pensão aplicam em títulos de governos, juros baixos ou negativos prejudicam sua rentabilidade.

Como resultado, esses fundos precisam se expor a outros mercados para obter retornos satisfatórios, e o BTC tem surgido como a preferência. No início do ano, o fundo de pensão estatal da Nova Zelândia aplicou R$ 55 milhões em BTC, cerca de 5% de seu patrimônio total.

Leia também: Solana atinge máxima histórica após recorde de valor alocado em DeFi

Leia também: ETF de Bitcoin dos EUA vai gerar 50 bilhões em demanda, diz analista

Leia também: Santos segue o Vasco e tokeniza mecanismo de solidariedade em cesta com Neymar e Gabigol



Fonte original