O regulador do mercado financeiro da Índia (SEBI) fez um apelo para que os consultores de investimento não forneçam serviços para ativos digitais não regulamentados, caso das criptomoedas.

Patrocinados
Patrocinados

Na declaração, o órgão regulador da Índia reconheceu que alguns consultores de investimento registrados estavam engajados em atividades não regulamentadas, fornecendo uma plataforma para troca de “produtos não regulamentados, incluindo ouro digital [como também é chamado o Bitcoin]”. 

A SEBI destaca que a oferta de serviços de consultoria, distribuição, execução ou implementação para tais instrumentos não regulamentados vai contra uma lei da Agência de 1992. Além disso, advertia que os consultores de investimento que lidavam com atividades não regulamentadas poderiam sofrer sanções sob a Lei SEBI.

Patrocinados
Patrocinados

O aviso impede efetivamente os consultores de investimento profissionais de fornecer consultoria aos investidores de ativos digitais em um mercado que está crescendo em um ritmo frenético no país do sul da Ásia. 

Adoção de cripto cresce na Índia

De acordo com fontes do setor, há 15 milhões de investidores em criptomoedas na Índia. Além disso, eles têm uma quantia avaliada em US$ 1,37 bilhão. Em 12 meses, o mercado indiano cresceu 641%, de acordo com a empresa de análise de dados Kantar.

E esse crescimento pode ser atribuído em grande parte aos jovens de todo o país. Outra pesquisa recente revelou que a maioria dos indianos que possuem criptomoedas tem entre 21 e 35 anos. Eles também vivem em cidades metropolitanas. 

Um exemplo proeminente da força jovem por trás da adoção entusiástica de criptomoedas pelo país é o adolescente indiano Gajesh Naik, de 13 anos. Em abril deste ano, Naik lançou o agregador de rendimento de finanças descentralizadas (DeFi ), a Gaj Finance. A plataforma também serve como um mercado para tokens não fungíveis (NFTs) e é executada na blockchain da Polygon. Até o momento, a Gaj Finance tem cerca de US $ 1,2 milhão em valor total bloqueado (TVL). 

As exchanges WazirX e CoinDCX, ambas sediadas em Mumbai, registraram aumento de 167% e 200-300% nos volumes de negociação, respectivamente. Os volumes de negócios também aumentaram 130% para a BuyUCoin, de Delhi, e 100%, para a Coinswitch Kuber, de Bengaluru. 

O CEO da BuyUcoin Shivram Thakral falou sobre o aumento da demanda

“ Recentemente, as negociações de compra, subiram 45% junto com um aumento de 28% nas negociações de venda. Vimos usuários inativos criando novos portfólios em torno do Bitcoin e outros 10 principais ativos de criptografia, também registraran um aumento considerável nas compras de cripto”.

Influência externa

Os Investimentos em criptomoedas na Índia aumentam após a aprovação e estreia histórica do Fundo ETF da ProShares atrelado ao Bitcoin . O sucesso do BITO foi tão estrondoso que o fundo já se aproxima do limite do número de contratos futuros que pode ser mantido pela Chicago Mercantile Exchange (CME).

Houve um aumento global na demanda por Bitcoin alavancando o preço do criptoativo para o maior recorde desde abril deste ano. A moeda digital ultrapassou os US$ 66 mil e os indianos estão de olho na oportunidade de aumentarem seus portfólios, já que um dos consensos na comunidade de criptografia é de que o preço da cibermoeda pode subir ainda mais.

Isenção de responsabilidade


Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.



Fonte original