A Coinbase, maior plataforma de negociação de bitcoins e outros criptoativos nos Estados Unidos, anunciou nesta sexta-feira que está investindo US$ 500 milhões do próprio caixa na aquisição de criptomoedas.

Ainda segundo a empresa, que em abril se tornou a primeira exchange do mundo a listar ações na Nasdaq, uma parcela de 10% dos lucros trimestrais passará a ser aplicada em criptoativos, para compor uma “carteira cripto” própria da companhia.

Segundo uma publicação da diretora financeira Alesia Haas no blog da empresa, os alvos da Coinbase são “ethereum, ativos baseados em ‘proof of stake’, tokens de DeFi e muitos outros criptoativos com negociação disponibilizada em nossa plataforma”.

A menção dela a “tokens de DeFi” se refere a protocolos de finanças descentralizadas que replicam serviços financeiros tradicionais, como empréstimos, seguros, consórcios e hipotecas, com ancoragem em criptomoedas e por meio de tecnologias de registro distribuído, as populares blockchains (leia mais sobre o DeFi aqui).

Já a citação a “ativos baseados em ‘proof of stake’” diz respeito à modalidade de validação do criptoativo em sua respectiva blockchain.

O bitcoin, por exemplo, é baseado no sistema “proof of work” (prova de trabalho), que exige uma validação prévia de todas as transações realizadas e tem por desvantagem uma baixa escalabilidade técnica e operacional, altos custos e altos gastos de energia na mineração (como é conhecido o processo de validação e registro de transações nas blockchains; leia mais).

Já a criptomoeda ether (também conhecida como ethereum), da blockchain Ethereum, utiliza o sistema “proof of stake”, que tem demonstradas vantagens de capacidade operacional, financeira e energética.

O presidente (CEO) da Coinbase, Brian Armstrong, havia revelado o plano da empresa no início da semana, dizendo que espera que a alocação em criptos cresça conforme o mercado se desenvolva. Ele também sinalizou uma intenção da empresa de diversificar seus serviços e operações envolvendo cripto.

Coinbase — Foto: Divulgação



Fonte original