Regra número um do mercado: nunca perca dinheiro. Regra número dois: nunca se esqueça regra número um”. Essa frase saiu da boca de Warren Buffett, o maior investidor de todos os tempos, e serve de lição para quem não diversifica o patrimônio.

É muito comum em momentos de euforia de algum investimento, como é o caso das criptomoedas, com o Bitcoin e o Ethereum subindo 45% e 40%, respectivamente, em cerca de um mês, investidores aumentarem a exposição nos ativos de olho na rentabilidade passada, abrindo mão da diversificação. 

Muitos esquecem em momentos de festa, porém, que nem só de alegria vive o mercado. E uma hora seu patrimônio vai gritar por diversificação, esteja você alocado majoritariamente em bolsa,criptomoedas, imóveis ou seja lá o que for.

Quer um exemplo? Em abril deste ano, o Bitcoin atingiu um recorde histórico ao ser negociado na casa dos US$ 64,8 mil. No entanto, sob influência da China, o BTC caiu 50% em pouquíssimo tempo e se aproximou da temida ‘Cruz da Morte’, ponto que costuma indicar a queda iminente de uma moeda. Na época, a moeda digital passou a ser negociada na casa dos US$ 30 mil. Nisso, outras moedas despencaram juntas.

Outro momento em que a Cruz da Morte veio assombrar os investidores foi em 2019, quando o Bitcoin chegou a despencar 70%, passando a ser negociado na casa dos US$ 20 mil.  Em 2013, a primeira queda que ocasionou essa situação foi de 73% e, depois, foi sucedida por uma redução de mais 71%. 

Isso não quer dizer que o bitcoin, o ethereum e outras criptomoedas sejam mal investimentos. Mas quem esteve de olho em outros investimentos alternativos, prezando pela diversificação sem focar só no mundo cripto como fonte de lucros exponenciais, conseguiu fazer dinheiro enquanto o bitcoin e outras moedas desmoronaram.

Quer um exemplo? Enquanto o bitcoin e o ethereum zeravam os ganhos no ano e algumas altcoins apresentavam retornos negativos até um mês atrás, o urânio acumulava uma alta de mais de 60% no período. 

E nem ouse dizer que não avisamos… em fevereiro, nós do Seu Dinheiro, site indicado ao prêmio “+Admirados da Imprensa Econômica” alertamos para essa oportunidade. Confira abaixo:

Diante de tudo isso, talvez o que eu vá dizer agora vai te incomodar : é estupidez ou muita ingenuidade deixar uma parcela alta do seu patrimônio refém de uma única modalidade de investimento, como muitos estão fazendo com criptoativos. 

Isso, é claro, não quer dizer que você não deve investir em cripto — o consenso entre especialistas de mercado é de que 5% da sua carteira pode ser destinada a essa modalidade. É preciso seguir o velho mantra do mercado: diversifique. 

Assim, o Seu Dinheiro preparou uma lista com 14 investimentos com potencial monstruoso de te deixar rico em 3 anos. Tratam-se de recomendações de analistas que acumulam lucros de até 500% nos últimos 7 anos. 

O guia, que conta com indicações de urânio a dólar, de carbono a hidrogênio e está disponível de graça para você neste link com todas as teses de investimentos que podem multiplicar seu patrimônio daqui em diante.

Para você ter certeza de que se trata de uma lista com o potencial de mudar a sua vida, eu vou revelar um dos investimentos que você encontrará na lista exclusiva e gratuita do Seu Dinheiro. 

Trata-se de um ‘investimento do futuro’ que já se valorizou mais de 60% só em 2021. Nos últimos 12 meses ele mais do que dobrou o patrimônio de seus investidores, com alta de 121%. Além disso, é um investimento que está fora do radar da maioria das pessoas. 

Mas, antes, é importante que uma coisa fique bem clara: se você perder essas 14 oportunidades, corre o grande risco de se arrepender. Afinal, já existe uma leva de arrependidos que não deu bola para nossos conteúdo sem outros momentos: 

Em meados de 2020, nossos colunistas alertaram sobre a oportunidade de compra das ações da Vale (VALE3), e, desde então, quem seguiu dobrou o patrimônio investido. O mesmo vale para a Irani Celulose (RANI3): desde a análise de nossos colunistas, em agosto de 2020, o papel já subiu 50%. 

E não para por aí: quem deixou de ler nossos conteúdos alertando oportunidades do mercado, já deixou de lucrar até 15.130% nos últimos 10 meses, como foi o caso de um token do mercado NFT, em 29 de janeiro de 2021. Quem leu esse material, assim como o que queremos oferecer de graça para você neste link, transformou meros R$ 100 em R$ 15 mil; R$ 1 mil  em R$ 150 mil. Confira abaixo:

Depois disso, vários “engenheiros de obra pronta” e “haters” começaram a aparecer. Claro que lucro passado não é garantia de retorno, mas agora queremos apresentar novas oportunidades para você no nosso guia gratuito com 14 investimentos com forte potencial de valorização para os próximos anos.

Quem não ficou de olho nas publicações perdeu grandes chances de ganhar dinheiro real, como provei acima. Se você não quer se arrepender novamente e ficar se lamentando enquanto tem gente lucrando alto, nós estamos te dando o caminho que pode te deixar rico em 3 anos. (libere seu acesse gratuito neste link).

Se você ainda não está convencido, tudo bem. Está certo… quando o assunto é dinheiro, toda cautela é pouca. Por isso vou dar uma “palhinha” sobre mais uma oportunidade que explicamos em detalhe no nosso guia. Confira abaixo:

Carbono é a nova ‘commodity do futuro’

O mercado de créditos em carbono é um meio utilizado por empresas e governos para compensar a quantidade de carbono emitida na atmosfera, ou seu impacto negativo sobre o ambiente derivado da emissão dos gases de efeito estufa.

E investidores comuns, assim como eu e você, estão ganhando muito dinheiro com isso devido à oferta limitada dos créditos em meio a uma demanda obrigatória prevista em lei por países com regulações fortes em torno do tema, como EUA, China e nações europeias. 

Ou seja, entra aí um princípio básico da economia: a oferta limitada diante de uma demanda obrigatória indica um forte potencial de que os preços do carbono disparem – e coloquem uma boa grana no seu bolso.
Para você ter uma ideia, o ETF KraneShares Global Carbon ETF (NYSE: KRBN), que investe em créditos carbono, já mais do que dobrou o patrimônio de quem investiu, nos últimos 12 meses com uma valorização de 121%.

Esse investimento superou, no período, o Ibovespa (+11,80%) e as principais bolsas do mundo: as americanas Nasdaq (+32%), S&P 500 (39,15%), Dow Jones (33,83%) e a alemã Dax (35,85%). 

“O mercado regulado desse ativo já está sendo adotado pela União Europeia, China e alguns estados dos Estados Unidos, e é favorável para a expansão do mercado de crédito de carbono”, afirma o economista e chefe de investimentos da Vitreo, George Wachsmann. 

Aliás, reforçando a tese, isso tem tudo a ver com o movimento ESG, sigla que caracteriza empresas que seguem boas práticas ambientais, sociais e de governança. Ou seja, grandes empresas têm isso como política, aquecendo ainda mais o mercado de créditos de carbono.

E não é porque são boazinhas: com esses princípios ecológicos em vista, as companhias trazem maior previsibilidade para os investidores, ajudando as companhias a diminuirem a percepção de risco em torno delas no longo prazo (saiba como ganhar dinheiro com essa sigla pelo nosso guia, disponível neste link)

De acordo com o analista Matheus Spiess — que hoje atua  na carteira de ações da série Palavra do Estrategista, da Empiricus, que acumula 445% de lucro nos últimos 7 anos — o carbono é a ‘commodity do futuro’, indicando um potencial absurdo de lucro  (os motivos para isso explicamos no guia gratuito que preparamos para você). 

Mas não é só o carbono…

Outros 2 investimentos alternativos têm chances de passar por valorizações brutais. Um deles já subiu mais de 200% só nos últimos 3 anos, com potencial para mais, clique aqui e saiba mais.  

Não é só o Carbono, veja outros 13 investimentos que podem maximizar suas chances de enriquecer nos próximos 3 anos:

Como o texto acima mostra, quem colocou dinheiro em carbono só nos últimos 12 meses, foi capaz de dobrar seu investimento inicial.  E quem seguiu outros conteúdos do Seu Dinheiro também já multiplicou o patrimônio em até um ano.

Mas o passado não interessa para o seu bolso, o importante é que a partir de agora você tem a chance de fazer um favor para o seu patrimônio, com potencial para transformar centenas de reais em milhares e milhares em milhões. 

É por isso que a equipe de colunistas do Seu Dinheiro — que trabalha em carteiras que acumulam lucros de até 500% nos últimos 7 anos — lançou um guia exclusivo com os investimentos mais promissores e fora do radar para quem quer ter aumentar as chances de enriquecer em 3 anos. 

Sem enrolação, você encontrará ações e outros ativos que podem mudar sua vida até 2024: como fundos imobiliários mais promissores da bolsa — um deles está extremamente descontado e tem potencial para pagar dividendos a partir de 10% — pechinchas em dólar, urânio, hidrogênio e outras oportunidades ainda pouco comentadas mas com grande potencial de multiplicação.

Mas afinal, quais são os investimentos? 

  • 3 fundos cambiais para você investir em moeda forte, sem ficar refém da desvalorização do real.

E você ainda vai receber alguns bônus..

O Seu Dinheiro tem o compromisso de zelar pelo seu patrimônio, por isso, ao se inscrever no botão você receberá muito mais do que apenas os 14 investimentos. 

Assim, você terá acesso diário e gratuito por e-mail às nossas análises de mercado, insights de investimento, apurações exclusivas com CEOs de empresas listadas na bolsa; notícias extremamente relevantes para o seu bolso.

Clique no botão abaixo e acesse lista gratuita pelo seu próprio bem porque a única coisa que está te separando da chance de estar rico em 2024 é um clique: 

A escolha é sua. Mas lembre-se: seria um atentado contra o seu patrimônio deixar essa oportunidade gratuita passar. 

‘Tá bom… mas qual a pegadinha por trás do conteúdo gratuito?’

Uma pergunta que você deve estar fazendo se chegou até aqui é essa. E nós, do Seu Dinheiro, te damos total razão. Afinal, pode parecer estranho estarmos liberando esse conteúdo, revelando essas oportunidades, sem cobrar nada.

A questão é que o setor editorial do Seu Dinheiro, que é responsável por esse texto, não ganha dinheiro vendendo cursos e outros produtos em seus conteúdos jornalísticos, como esse. Nossa receita, meu salário e o de outros colegas repórteres vêm de parcerias publicitárias (que, reforço, não é o caso desse material), assim como fazem muitos outros portais renomados de Jornalismo para bancar o ganha pão de cada funcionário.

Pertencemos ao grupo Universa, cujo controle é do BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina. Assim, é devido a todos esse motivos, que você não vai pagar um tostão, em nenhum momento, para receber os conteúdos produzidos pelos nossos repórteres.

Essa transparência é em respeito ao seu patrimônio e à sua leitura. Faça bom proveito e bons investimentos!



Fonte original