O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, descartou o uso de criptomoedas como o Bitcoin em seu governo e garantiu que não haverá muita inovação na gestão financeira do país. A afirmação ocorreu durante uma entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (14) no Palacio Nacional, residência presidencial que fica na Cidade do México.

Conforme vídeo da coletiva no canal oficial de Obrador no Youtube, ele falou sobre criptomoedas ao ser questionado por um repórter sobre o assunto. “Há interesse do governo em usar as criptomoedas como está sendo de curso legal em El Salvador”, perguntou o jornalista. “Não”, disse Obrador sem hesitar, acrescentando à resposta o seguinte:

“Não vamos mudar nesse aspecto. Achamos por bem mantermos a ortodoxia na gestão de finanças. Não vamos tratar de inovar muito no sistema financeiro. Vamos cuidar para que não haja evasão fiscal e privilégios nos pagamentos de impostos. Isto é o suficiente”, disse o presidente.

Bitcoin no México

Apesar de Obrador não ter criticado as criptomoedas, sua posição segue em linha com a do Banco do México (Banxico), o banco central do país, e também com as de reguladores de mercado mexicano — Secretaria da Fazenda (SHCP) e Comissão Nacional Bancária e de Valores (CNBV).

O parecer das das autarquias sobre as criptomoedas veio em conjunto no final de junho deste ano com uma publicação. Na ocasião, os reguladores alertaram sobre os riscos do uso de ativos virtuais, como o bitcoin, ethereum e ripple, e ressaltaram que a prática é ilegal no país.

Coincidentemente ou não, o alerta dos reguladores ocorreu um dia após o bilionário mexicano, Ricardo Salinas, comentar que seu banco poderia vir a aceitar bitcoin. Na ocasião, ele também exaltou a criptomoeda elevando-a ao nível do ouro, porém, dando mais crédito ao ativo virtual por ser mais fácil de transportar.

Em setembro, cerca de três meses depois, o Banxico voltou a comentar sobre as criptomoedas através do presidente da instituição, Alejandro Diaz, que disse que o Bitcoin não é dinheiro real.

“Quem recebe Bitcoin em troca de um bem ou serviço, acreditamos que a transação é mais semelhante a uma permuta porque essa pessoa está trocando um bem por outro, e não dinheiro por um bem”, disse Diaz. 



Fonte original