Existem diferentes tipos de golpes envolvendo o criptomercado, alguns relacionados até mesmo com engenharia emocional e social para manipular suas vítimas. Em um recente caso a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) está investigando acusações de um golpista que está usando o Tinder para enganar mulheres e obter vantagem financeira para investimento em criptomoedas.

De acordo com informações do site Metrópoles, um grupo de mulheres procurou a polícia para denunciar um golpe aplicado pela mesma pessoa, identificada como “David”. Segundo as denuncias, David se apresenta como um estrangeiro de 36 anos, mas usa fotos falsas para enganar suas vítimas.

O golpe é nada mais é do que uma nova roupagem de um outro já conhecido. Primeiro “David” se aproxima das mulheres através do aplicativo de encontros, ganhando confiança e se envolvendo emocionalmente com as vítimas. Antigamente os golpistas pediam ajuda para pagar contas ou viagens para encontrar seus “amores”… dessa vez o golpe envolve o investimento em criptomoedas.

Segundo as vítimas, David afirma que investiu em uma plataforma de criptomoedas e acabou ficando milionário, até mesmo se mudando para Brasília e morando no hotel de luxo Royal Tulip, um dos mais caros da região. Ele então afirma que vai ajudar elas a investirem na plataforma também, sendo um mediador do investimento. Mas como é de se imaginar tudo é apenas um golpe.

Uma das vítimas foi entrevista pelo Metrópoles e contou como David se aproximou e como funciona parte do golpe.

“Conversamos por duas semanas e ele dizia que me amava. Falava que trabalhava com investimentos e não sabia falar português.”

A vítima disse que o golpista era sofisticado e tinha um esquema de fotos falsas para conseguir manter a farsa, contando com um “arsenal” de fotos.

“Nós trocamos muitas fotos, e ele tinha um conteúdo de foto e vídeo que era muito vasto. Mandava fotos dele criança, com amigos e família, mas tudo usando as fotos desse chinês famoso.”

A vítima não quis se identificar e de acordo com as informações ela é faz parte de um grupo de pelo menos dez outras pessoas enganadas. Outra vítima afirmou que o golpista sempre investia na conversão sobre investimento em criptomoedas.

“ele dizia que me ajudaria a ficar rica. Falava que queria ajudar financeiramente MIM e à minha filha e, a partir daí, eu comecei a desconfiar. Sempre insistia nesse investimento do bitcoin, dizia que ensinaria tudo”

A insistência no tal investimento em criptomoedas fez algumas das mulheres desconfiarem do golpe, com muitas cortando contato depois de um tempo de conversa.

“Com certeza, trata-se de um golpe financeiro. Fez a gente confiar nele, pede dinheiro e fala que vai aplicar para a gente. Ele disse que entendia tudo do mercado financeiro”

Agora as vítimas formaram um grupo de apoio a outras pessoas que foram enganadas por David.

Douglas Fernandes, o delegado responsável pelo caso, falou ao Metrópoles sobre os casos de estelionato sentimental nas redes sociais e como é importante tomar cuidado com esse tipo de situação.

“É importante as pessoas não transferirem valores para quem desconhecem, ainda mais se tratando de sites de relacionamento, sem que tenham tido qualquer contato pessoal com a pessoa”.

Curiosamente, esse não é o único caso recente em que o Tinder foi usado para aplicar golpes envolvendo o criptomercado. Outro caso, dessa vez mais grave, teve um investidor quase sendo roubado após marcar um encontro no aplicativo. 





Fonte original