A polícia britânica confiscou US$ 2,7 milhões (cerca de £ 2 milhões) em bitcoin de um rapaz de 17 anos, cuja identidade não foi divulgada por questões legais, em Lincolnshire, Inglaterra.

O rapaz criou um site fake como parte do que foi descrito como uma “sofisticada fraude cibernética” e usou US$ 8,9 mil (ou £ 6,5 mil) em vouchers roubados para comprar bitcoin. Ele irá cumprir uma ordem de reabilitação por 12 meses, de acordo com a decisão do tribunal local.

O site falso, criado pelo adolescente em abril de 2020, era praticamente uma cópia da Love2Shop, um site que vende cartões-presentes e vouchers.

“As pessoas eram enganadas ao clicar em seu site por acharem que estavam acessando o site verdadeiro”, afirmou Sam Skinner, promotor do caso.

No computador do adolescente, a investigação policial encontrou um total de 48 bitcoins, uma quantia em outras criptomoedas, mais de 12 mil números de cartões de crédito e os detalhes de outras 197 contas no PayPal.

Ele confessou ter realizado lavagem de dinheiro e fraude e a juíza Catarina Knight disse que, “se ele já fosse maior de idade, seria preso”.

Esta não é a primeira vez que o bitcoin aparece no sistema tribunal britânico.

Os recentes casos judiciais com cripto no Reino Unido

Em março deste ano, cinco pessoas foram acusadas em um caso de fraude de US$ 27 milhões (£ 20 milhões) em bitcoin.

O caso durou quase dois anos e fez com que os cinco envolvidos fizessem uso de uma falha em uma empresa chamada CoinSport, operada pela empresa australiana Casey Block Services, para cometer a fraude.

“Essa foi uma investigação longa, envolvendo uma enorme quantia de dinheiro (milhões de libras)”, afirmou o promotor Malcolm Isherwood na época.

Em abril, dois homens foram presos após usarem sites da dark web para adquirir cocaína da América do Sul, uma negociação que os fez lucrar mais de US$ 4,8 milhões (£ 3,5 milhões).

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização da Decrypt.co.



Fonte original