Brock explicou que os exatos princípios de design para essa plataforma ainda não estão definidos, destacando o sidechain Rootstock como uma opção possível (Imagem: Unsplash/Executium)

Em julho, Jack Dorsey, CEO da rede social Twitter (TWTR34) e da empresa de pagamentos Square (SQ), havia divulgado planos de lançar um projeto chamado TBD — a sigla, segundo o perfil criado no Twitter, parece se referir ao termo “to be discussed” (algo como “será discutido”).

Na época, TBD iria focar no desenvolvimento de uma plataforma para serviços financeiros de código aberto específicos para o bitcoin (BTC).

O bitcoin terá um “grande papel” no futuro do Twitter,
afirma CEO Jack Dorsey

Agora, esse projeto possui um roteiro de desenvolvimento (“roadmap”) mais definido, de acordo com Dorsey e Mike Brock, diretor executivo do CashApp que estará liderando a iniciativa: será uma corretora descentralizada.

Uma corretora descentralizada (ou DEX, na sigla em inglês) é um sistema de negociação onde nenhuma parte central possui custódia ou controle dos fundos que passam por ele.

Em uma série de tuítes, Brock explicou:

Acreditamos que o bitcoin será a moeda nativa da internet. Embora existam muitos projetos que querem ajudar a tornar a internet mais descentralizada, nosso foco é apenas em um sistema monetário global e sonante para todos.

Porém, a inclusão de todos [esses aspectos] exige algumas peças que estão faltando… Hoje, a compra de bitcoin geralmente envolve a conversão de uma moeda fiduciária em um serviço centralizado e custodial, como CashApp ou Coinbase.

Essas plataformas “on-ramp” [de fiduciária para cripto] e “off-ramp” [de cripto para fiduciária] possuem diversos problemas e não são igualmente distribuídas pelo mundo.

Esse é o problema que iremos solucionar: facilitar o financiamento de uma carteira não custodial em qualquer lugar do mundo por meio de uma plataforma para desenvolver “on” e “off-ramps” no Bitcoin.

Você pode considerar isso como uma corretora descentralizada para fiduciárias.

Como dissemos, essa plataforma será completamente desenvolvida em um protocolo público, descentralizado e de código aberto e qualquer carteira poderá usá-la. Não haverá modelo de fundação ou governança controlado pela TBD. Apermissionado ou nada.

Brock explicou que os exatos princípios de design para essa plataforma ainda não estão definidos, destacando Rootstock — um sidechain (blockchain secundário) do Bitcoin que opera por meio de contratos autônomos — como uma opção possível.

Porém, as lacunas necessárias para o desenvolvimento podem ser muito grandes, o que também fará com que consideremos outros chains como pontes [“bridges”].

Atualmente, algumas das lacunas que percebemos são relacionadas a custos e escalabilidade. Lightning [Network] está solucionando essa questão com pagamentos. Precisamos de uma solução para infraestruturas descentralizadas entre ativos digitais, como stablecoins.

Gostou desta notícia? Baixe o nosso app para ler, em apenas um clique, esta e mais de 150 matérias diárias.





Fonte original