O bitcoin (BTC) nem sempre vive dias de glória. Na manhã de hoje, a principal criptomoeda do mercado operava em queda de 0,84%, aos US$ 47.026,09, uma alta de 2,95% no acumulado da semana.

Mas uma outra criptomoeda despontou nos últimos sete dias, com uma alta de 64,45%. Essa moeda é a Solana (SOL) que chegou a bater os US$ 70 em suas máximas e saltar mais de 15% nesta manhã.

Com a piora do sentimento do mercado de cripto, por volta das 14h30, a Solana (SOL) inverteu o sinal e passou a operar em queda de 2,26%, cotada a US$ 65,45.

Os grandes de olho nos pequenos

O interesse de grandes empresas norte-americanas no protocolo da Solana chamou a atenção. Só nos últimos dias, o volume de negociação dessa criptomoeda mais que dobrou, chegando a atingir mais de US$ 4 bilhões nas últimas 24h.

O que faz a Solana (SOL)

A Solana é um protocolo que otimiza a negociação de finanças descentralizadas, as DeFis. A blockchain da SOL também permite a criação de aplicativos descentralizados, chamados de DApps. Confira aqui o que são as Finanças Descentralizadas

Um dos pontos fortes da Solana é que ela resolve um dos maiores problemas das criptomoedas: a escalabilidade do projeto. De maneira geral, as moedas digitais crescem em uma rede parecida com as teias de uma aranha. 

Conforme elas crescem para os lados, as pontas começam a ficar mais frágeis. Em outras palavras, a blockchain tende a ficar sobrecarregada e as transações podem demorar mais e, em último caso, a rede pode ficar mais insegura com o passar do tempo.

Para evitar esse problema de crescimento, as blockchains mais modernas já contam com um sistema que previne essa escalabilidade sem fim, criando espécies de “bolsões” que impedem que as pontas fiquem desprotegidas. Mesmo as criptomoedas como o bitcoin já possuem sistemas como o Lightning Network que controla esse problema. 

O que dizem os especialistas

Ray Nasser, analista de criptomoedas da Inversa: A Solana é um bom projeto, que consegue ser uma alternativa ao Ethereum (ETH) porque faz transações mais baratas e muito mais rápidas. Além disso, ela tem mais projetos em cima, com os próprios DeFis e NFTs se multiplicando dentro da blockchain.

A Solana entrou para os top 10 de moedas por capitalização de mercado, então os fundos começaram a comprar e adicionar aos portfólios e carteiras. A equipe por trás da SOL é muito boa também, para desenvolver ainda mais aplicações (soluções de segunda camada) com essa moeda. Acredito que ela continuará subindo e crescendo pelos DeFis.

Andre Franco, especialista em criptomoedas da Empiricus: A Solana tenta resolver o trilema do mercado cripto: escalabilidade, segurança e descentralização. O grande problema é que ela ainda não chegou ao ponto de teste, que é conseguir manter a velocidade e segurança da rede com muitas transações por segundo por um período de tempo razoável.

Mas diversos fundos estão investindo nos projetos em SOL e as parcerias com desenvolvedores devem continuar crescendo, tendo em vista que esses fundos dão dinheiro praticamente de graça para quem quiser desenvolver projetos nessa blockchain.



Fonte original