Este artigo foi escrito exclusivamente para o Investing.com.

  • Os governos não são fãs das criptomoedas
  • EUA e Europa provavelmente trabalharão juntos para regular a classe de ativos
  • A expectativa é que haja dois conjuntos de regras
  • Tributação virá primeiro
  • Guerra civil financeira global

, e outras criptomoedas se recuperaram bem desde as mínimas provocadas pela profunda correção ocorrida após os picos de abril e maio. O caiu de US$65.520 em 14 de abril até a mínima de US$28.800 no fim de junho, ou mais de 56%. O atingiu o pico de US$4.406,50 em meados de maio e depois a mínima de US$1697.75 no fim de junho, um declínio de quase 61,5%.

A capitalização de mercado de toda a classe de ativos, composta por mais de 11.180 tokens digitais, perdeu mais da metade do seu valor quanto atingiu o nível de US$2,5 trilhões.

Embora os preços tenham afundado, a euforia especulativa nas criptomoedas continua atraindo novos participantes a cada dia. Em 8 de agosto, o bitcoin voltava a superar o nível de US$43.800, com o ethereum um pouco acima de US$3000 por token. O valor de mercado de toda a classe era de quase US$1,775 trilhão.

Histórias de uma incrível criação de riqueza de quem fez um investimento de US$1 em bitcoin a cinco centavos, em 2010, e o transformou em mais de US$2 milhões funcionam como um poderoso catalisador. Além disso, empresas de tecnologia continuam abraçando a forma libertária de dinheiro, como a Square (NYSE:), de Jack Dorsey, que lidera o movimento.

Na última conferência B-word, o CEO da SQ e Twitter (NYSE:) (SA:) chamou a criptomoeda de forma de dinheiro da internet. Como cada vez mais empresas começam a aceitar tokens como forma de pagamento, governos começam a mexer seus pauzinhos.

Os governos não são fãs das criptomoedas

Os governos não param de criticar as criptos por causa de seus usos nefastos. No entanto, o real motivo das suas preocupações é a oferta monetária.

O controle do orçamento é o fato mais significativo para a manutenção do poder. Abrir mão da oferta monetária em favor de qualquer moeda libertária significa menos controle.

O status quo mostra que os governos podem expandir ou contrair a oferta de dinheiro simplesmente apertando um botão. A divisão ideológica entre governos e uma forma de dinheiro que transcende fronteiras cria um vasto abismo.

Os governos abraçam o blockchain, na medida em que representa a evolução tecnológica das finanças. A velocidade e a eficácia da tecnologia financeira exercem grande atrativo. Entretanto, as moedas digitais representam uma grande ameaça ao seu poder.

A China parece ser o primeiro governo a emitir uma forma digital da sua moeda, o . Durante os preparativos do lançamento, os chineses começam a tomar duras medidas contra o bitcoin e outras criptos. Não demorará muito para que os EUA e a Europa lancem suas versões digitais do dólar e do euro. Washington e a UE devem seguir os passos da China e reter o controle da oferta monetária para manter o poder financeiro.

EUA e Europa provavelmente trabalharão juntos para regular a classe de ativos

A crise financeira de 2008 abriu espaço para uma cooperação regulatória internacional. Em razão do movimento em direção ao globalismo sob o governo Biden, provavelmente veremos os órgãos reguladores dos EUA, Reino Unido e UE trabalharem juntos para estabelecer um marco regulatório para as criptomoedas.

Embora a tendência seja que apresentem o cenário como uma forma de proteção aos investidores e à santidade do dinheiro, o fator subjacente será o controle e a manutenção do status quo monetário.

A expectativa é que haja dois conjuntos de regras

Minha expectativa é que haja uma bifurcação na tecnologia financeira em dois protocolos regulatórios. Uma abrangerá as moedas digitais emitidas por governos, podendo incluir as chamadas “stablecoins”, ou moedas estáveis, que refletem valores de ativos tangíveis.

Elas devem enfrentar um cenário regulatório mais leniente, na medida em que o controle continuará nas mãos de governos, tesouros, bancos centrais e autoridades monetárias.

Criptomoedas, por outro lado, podem enfrentar obstáculos regulatórios maiores para mitigar sua ameaça às bases do poder estabelecido.

Tributação virá primeiro

Uma das ferramentas mais potentes que os governos têm à sua disposição é a tributação. Um sinal de que as criptomoedas já estão no centro das atenções do governo americano são as duas emendas tributárias diferentes na legislação de infraestrutura do Senado. A tributação vem da definição da função de um “broker”, ou corretor, nas criptomoedas.

Ironicamente, os senadores procuraram inicialmente impor regras mais rígidas para a taxação de criptomoedas, a fim de ajudar a financiar a lei de infraestrutura. A emenda Wyden-Toomey-Lummis restringiria a definição de “broker” para excluir mineradores e validadores, fabricantes de hardware e software, além de desenvolvedores de protocolos da designação. A intenção da emenda é evitar que empresas e mercados de criptomoedas saiam do país para jurisdições menos restritivas.

Por outro lado, a emenda Portman-Warner-Sinema só protegeria minerações de proof of work (PoW) de requisitos de declaração recém-propostos. A emenda não isentaria os desenvolvedores, operadores, validadores e fornecedores de liquidez proof of stake (PoS) dos requisitos de declaração.

Conclusão: temos uma tributação mais rígida no horizonte. A tributação é o instrumento mais significativo que os governos podem usar para manter o controle da classe de ativos e exercer controle.

Sob o pretexto de pagar a infraestrutura, o IRS e outras agências governamentais teriam o poder de controlar os fluxos monetários com total transparência. Além disso, a cooperação internacional seria a “bala de prata” que impulsiona o mercado para longe das criptos, em direção a moedas digitais emitidas por governos e stable coins que reflete o valor de ativos regulados.

Guerra civil financeira global

A ideologia libertária muda o poder do Estado para os indivíduos. Libertários acreditam no livre mercado, onde os preços vêm de transações transparentes com interface governamental. Ironicamente, muitos acreditam que o libertarismo seja uma doutrina de direita.

Quando o assunto é dinheiro, sua função é reduzir o papel do governo. No entanto, socialmente, o libertarismo também pode ter um viés político de esquerda. Direita e esquerda são ideologias políticas que abraçam formas diferentes de libertarismo.

No que se refere à criptomoedas, nem o governo nem os defensores da emergente classe de ativos ficarão contentes com o resultado. Nos EUA e Europa, o crescimento de empresas de tecnologia que criaram oligarquias abre caminho para uma épica batalha sobre o futuro da oferta monetária.

Autoridades governamentais estão de um lado, enquanto, de outro, está Jack Dorsey, Elon Musk, CEO da Tesla (NASDAQ:) (SA:), Jeff Bezos, da Amazon (NASDAQ:) (SA:), além de outros expoentes do mundo da tecnologia financeira, que transcende o controle governamental.

Ambos os lados brigam por seus próprios interesses. Os governos farão qualquer coisa para preservar seu poder. O criptomercado e as empresas de tecnologia querem devolver o poder aos indivíduos, mas tendem a se beneficiar financeiramente.

Conclusão: normas estão a caminho e devem criar um sistema de classe em que as moedas digitais e stablecoins não estão sujeitas ao mesmo tratamento das criptos.

Dois sistemas de pagamento antagônicos podem se tornar mutuamente excludentes, criando muita volatilidade e uma épica batalha financeira por controle. Os governos podem ter a tributação, as normas e exércitos como agentes ao seu dispor. Entretanto, o setor de tecnologia tem know-how e habilidades que reduzem sua capacidade de manter o status quo.

O interesse especulativo está alimentando a classe de ativos libertária, razão pela qual órgãos reguladores chineses têm pesado a mão. A China é um sistema autoritário, o que facilita a supressão de tudo aquilo que não seja do interesse do governo.

A expectativa é que os EUA e a Europa tentem fazer a mesma coisa. No entanto, nas democracias sociais, essa tarefa está longe de ser fácil.

Bitcoin futuro

Fonte: CQG

O gráfico mensal do , acima, mostra que a euforia especulativa tem tudo para continuar. Cerca de 11.200 criptomoedas – com mais chegando ao mercado a cada dia – é outro sinal de que a classe de ativos está atraindo mais interesse.

Muitos concordam que o Blockchain é o futuro dos sistemas de pagamento. No entanto, a forma de dinheiro é um problema que continuará gerando controvérsia por muitos anos.





Fonte original