A terceira maior baleia de Bitcoin (BTC) recentemente adquiriu uma quantidade massiva de BTC. O grande investidor, atualmente, possui 116.841,62 BTC em sua carteira.

As vendas desta baleia, segundo o Crypto Potato, coincidiram com topos visualizados em 2021. A estratégia deste investidor é mover BTC para a Coinbase sempre que a criptomoeda se aproxima de uma resistência.

Entre abril e maio deste ano, a baleia vendeu seus BTC até ficar com 100 mil unidades em sua carteira. Contudo, de maio até hoje, esta baleia acrescentou quase 17.000 BTC em seu saldo.

Acumulando discretamente

Entre maio e julho, a terceira maior baleia fez 410 compras de BTC, e fez apenas 44 saques. Trata-se de uma acumulação discreta em pouco mais de dois meses.

Após vender, o ponto de acumulação deste investidor foi a partir dos US$ 41 mil. Contudo, a maior parte dos Bitcoins foi comprada na faixa entre US$ 30 mil e US$ 39 mil.

No início de junho, por exemplo, o endereço acumulou 3.706 BTC a um preço médio de US$ 32.900. Desta forma, mais de R$ 600 milhões foram comprados.

A última venda ocorreu no dia 15 de junho, quando a terceira maior baleia de BTC despejou 1.500 BTC na cotação de US$ 40.500. No fim do mesmo mês, foram acrescentados 4.000 BTC à carteira desta baleia.

Ao todo, o endereço possui mais de R$ 18 bilhões em Bitcoin. O forte movimento de acumulação sustenta dados recentes de que baleias estão aproveitando a atual faixa de preço para acumular.

Trata-se, então, de um fator positivo para o preço do BTC no longo prazo. Embora quantias massivas tenham sido enviadas para Coinbase e Binance em alguns momentos da última semana, o preço se mantém firme na mesma faixa.

Nem mesmo a rápida perda do piso em US$ 30 mil conseguiu avançar para perdas mais drásticas.

Dinheiro de gigantes

Além da baleias, o capital institucional também tem fluído para o mercado de criptomoedas. O segundo trimestre de 2021 bateu recorde em termos de entrada de capital de risco.

Ademais, segundo um recente relatório do Goldman Sachs noticiado no CriptoFácil, quase metade dos family offices clientes do banco querem investir em Bitcoin.

Tais fatores são indícios positivos sobre o atual estado do mercado de criptomoedas e, ainda, tornam o cenário a longo prazo mais otimista.

Leia também: CHZ, SOL e SHIB podem subir até 65% durante esta recuperação

Leia também: Criptomoedas podem disparar 150% se o Bitcoin romper resistência

Leia também: Prévia da inflação atinge maior nível desde 2004, superando expectativas



Fonte original