Os influenciadores de criptomoedas não terão mais permissão para promover projetos no TikTok depois que a popular rede social lançou novas diretrizes na sexta-feira (09).

TikTok proíbe anúncios relacionados a criptomoedas

Atualizando sua Política de Conteúdo de Marca, o TikTok observou que todas as seguintes formas de serviços e produtos financeiros foram banidos da plataforma de mídia social: criptomoedas, plataformas de negociação, esquemas de pirâmide, esquemas de “enriquecimento rápido”, cartões de crédito, empréstimos e alguns outros.

De acordo com relatórios recentes, a maioria das vítimas desses investimentos de alto risco e esquemas de enriquecimento rápido promovidos no TikTok são jovens e a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA) recentemente expressou preocupação com a tendência preocupante.

Limitando golpes financeiros

O TikTok afirma que a mudança visa acabar com a taxa crescente de esquemas relacionados a criptomoedas e outros investimentos promovidos na rede social. No entanto, a proibição total também afetará as empresas financeiras legítimas que usam a plataforma para promover seus produtos.

O aplicativo de mídia social se tornou a plataforma preferida para a promoção de criptomoedas inspiradas em memes após a campanha publicitária em 2020.

Conforme relatado na época, o DOGE subiu mais de 100% poucos dias depois de sua promoção no TikTok por um influenciador. Este incentivou seus seguidores a comprar a moeda “porque ela não valia nada”.

Seguindo o feito impressionante, outros imitadores do Dogecoin começaram a pagar influenciadores do TikTok para promover seus projetos, na esperança de obter um efeito hype semelhante ao registrado pelo DOGE.

Não é a primeira rede social

Enquanto isso, o TikTok não é a primeira plataforma de mídia social a proibir anúncios relacionados a criptomoedas. Em 2018, o Facebook (NASDAQ:) (SA:) baniu todos os anúncios que promoviam serviços e produtos de criptomoeda durante a febre da ICO.

O gigante da mídia social reverteu posteriormente a proibição de alguns dos anúncios naquele mesmo ano. Entretanto, o mesmo censurou conteúdo relacionado ao novamente em 2020.

O Google (NASDAQ:) (SA:) também proibiu anúncios relacionados a criptomoedas em 2018. Mas começou a permitir que carteiras criptográficas e trocas exibissem anúncios em sua plataforma no mês passado.

No entanto, as empresas relacionadas a criptomoedas e financeiras devem atender a alguns requisitos, como o registro na FinCEN (Financial Crimes Enforcement Network) e a conformidade com outras políticas do Google Ads antes de poderem promover seus produtos no maior mecanismo de pesquisa do mundo.

Fonte original